domingo, 8 de outubro de 2006

Efeito Xis

"Acontece algo de semelhante com os objectos que guardo em minha casa. Há pouco utilizei a palavra janela; poderia dizer portal. São objectos de que me sirvo para chamar não espíritos, mas lugares, e também momentos; certos instantes em que fui absolutamente feliz.
A grande arte da vida é saber convocar esses instantes, esses lugares, nos lugares e nos instantes em que nos falha a fé ou a esperança, e o desânimo, que é a ferrugem da alma, nos aproxima violentamente da velhice."
Faíza Hayat, na Xis.
Eu convoco, para todo o sempre, o quintal da minha avó.
O quintal da minha avó tinha abacates, goiabas, papaias, bananas, laranjas, tangerinas, romãs, limões de casca grossa e amarela a pedir sal, mangas, couves, alfaces, galinhas, patos, coelhos, dois tanques, cordas para estender a roupa e "coradouros", muito espaço e um baloiço. Havia fé e havia esperança. Se houvesse maçãs, eu acreditaria ter sido esta a primeira morada de Adão e Eva.
casa da avó
Os paraísos são muito efémeros. Nunca chegam a durar uma vida. Mas os efeitos resistem, como se pode ler hoje na Xis!

3 comentários:

Laura Lara disse...

Que lindo Madalena. É verdadeiramente a arte de saber viver.
E lembrei-me do lindo piri... (como se chama o arbusto(?) que dá o piripiri?), que enfeitava o quintal dos meus pais.
Beijinhos e um bom Domingo

Graça disse...

Esta é a nostalgia luminosa, a que derrota o tempo e faz do passado um aliado, não um inimigo.

Por pura coincidênca, também estou por aqui:
http://a-duas-maos.blogspot.com/

Beijinho.

125_azul disse...

Aquele barco encalhado, na praia junto ao farol, a areia e as águas quentes, os baldes e as pás... nunca mais se é feliz assim, mas ainda bem que já se foi! É o nosso banco de memória, reservas e economias para os tempos difíceis. Lindo. Tu, sempre. Beijinhos, semana feliz