terça-feira, 19 de junho de 2007

Diz que é uma espécie de corrente...

(Adoro a palavra corrente! Não quando ela significa ou refere "grilhão, cadeia de metal". Gosto da outra corrente, a que tem água e segue em direcção ao rio.)
Richard Bach, o dos livros e das gaivotas, dizia num dos seus livros que nos devemos sempre deixar levar pela corrente. Não fiquemos agarrados a um galho de árvore com medo do destino da corrente. Pelo menos não vamos morrer de tédio! Diz ele e eu acho que faz sentido.
Então de que corrente se trata, agora? Traduzindo para uma linguagem também ela corrente, poder-se-ia dizer: Então, como vai isso de livros?
Cá para mim, vai assim: pouca leitura de lazer e prazer.
Mas enfim, ainda se arranja um título ou dois para fazer boa figura.
(Eu não sou o professor Marcelo!)
Eco- A passo de Caranguejo

Descobri tarde este Eco que gosto tanto de ler e que me põe a pensar as coisas certas. Todo o mundo moderno está nesta colectânea de crónicas, onde se desmontam mitos, onde se espalham ideias brilhantes sem carga de assunto sério, pesado, mesmo que o assunto seja sério e pesado!
Entretanto a visão de um livro de Fernando Namora, volume da época, Europa-América, deu-me uma certa saudade da escrita do Domingo à Tarde e outros retalhos. Na Feira do Livro, por dois euros e noventa e nove, não valia a pena resistir à tentação. Para além de um "divertimento" bem baptizado de resposta a Matilde, trouxe um "Jornal Sem Data" que não lê de fio a pavio, mas se vai lendo, como se fosse um blog, dia a dia, enovelado noutras leituras...
(???)
( Apeteceu-me dizer isto assim!)
"Nada a fazer: é sempre de nós que falamos."
Página 156.
E só falta mesmo agradecer ao Luís a incumbência e nomear as próximas vítimas.
Como estou quase a chegar à Cidade Proibida, por sugestão da IO, fica-lhe entregue a missão de fazer andar a corrente.
E ainda: Laura, Pitucha, Espumante e Ti.
De ti também não me esqueço, Teresa!
Estás nomeada também!

5 comentários:

Laura Lara disse...

Já acrescentei o meu elo à corrente.
Beijinhos

espumante disse...

Madalena
Eu alinho, basta seres tu a pedir. Só tenho uma dúvida. Como é a corrente? Livros que li? Que ando a ler? Ultimos que comprei? O post não está bem explícito e eu não dei pela corrente,
Elucida-me, está bem?Beijonho

casa.da.ponte disse...

Mesmo sem blogue, permito-me comentar esta corrente. Já percebi porque acontecem na Póvoa de Varzim as "correntes de escrita"...
Sabes Madalena, nestes dois anos na reforma já li mais
livros,incluindo os vossos escritos também, que durante os ultimos dez anos de trabalho! E vem mesmo a propósito noticiar que amanhã a seguir ao Telejornal na RTP1 Judite de Sousa entrevista o "nosso" Mia Couto.
Beijinhos Madalena e boas correntes.
M.Dores

IO disse...

Olá Madalena, já está:
http://chuinga5.blogs.sapo.pt/13850.html

beijos, IO.

125_azul disse...

Bora lá enovelar-nos todos nestas boas sugestões. Muitos, muitos beijinhos e boas leituras.
Eu ando a ler uma autora que adoro, a Sarah Waters(desta vez, O Vigilante).
Não é um género de que todos gostarão, eventualmente, mas recomendo, principalmente uma espiadinha no primeiro "Afinidades". Deslumbrante!