domingo, 17 de junho de 2007

A hora do recreio

O recreio é obrigatório. Todos guardamos dos nossos tempos de alunos a recordação do recreio.
Normalmente coincide com o lanche a meio da manhã ou da tarde.
(Seria óptimo se pudéssemos voltar ao pão de escudo e vinte, com queijo fresco e banana que a minha mãe me arranjava para levar para o colégio. Era uma dose para três e eu comia também com satisfação tripla: era bom, era muito e, na altura, eu não engordava. Agora há as máquinas e os meninos e meninas só comem plásticos que também satisfazem plasticamente e, ainda por cima, engordam!)
Depois há as brincadeiras.
(No meu tempo, havia um jogo que consistia em desenhar um conjunto de quadrados e rectângulos no chão, atirar uma pedrinha e ir até ao sítio da pedrinha, a saltar com um pé só! Ao pé coxinho, como dizíamos. Havia também " a mamã dá licença". Agora também há jogos como o do elástico e também há berlindes. Não há é terra para fazer as covinhas para atirar o berlinde. Em termos de jogos, não me parece que estejam pior. A imaginação dá um jeito e eles inventam regras novas para jogos velhos e o prazer do recreio permanece.)
Hoje, doem-me as pernas, os joelhos, canso-me e até tenho dor de cotovelos... Literalmente: dor de cotovelo. Agora, o recreio, como eu o desejo e imagino, é uma miragem.
Miragem?
Miragem- deserto!
Deserto?
Ordem do dia. Melhor: ordem dos dias.
E foi assim que eu cheguei ao que queria, que era publicar uma foto do deserto.
Mas um deserto à séria e uma foto feita por alguém que merece a minha admiração.
Que é para isso que também servem os blogs: para expressar a nossa admiração, a nossa amizade.
Agora os recreios são assim: blá-blá, blá-blá e manifestações de afecto.

Aqui, há mais belas fotos, tiradas pelo meu amigo, bom amigo e "desertista" militante.

4 comentários:

luis manuel disse...

É obrigatório(a), o recreio e a imaginação. A alegria e a invenção de novos espaços. Até miragens...
Para isso, ás vezes doem as pernas, os joelhos, os pés... mas os cotovelos... hum!? acho que isso, é mais para os outros...!
Tenho escrito um convite, lá na página.
Um abraço

casadaponte disse...

Este sim é um deserto a valer...e onde as miragens são possíveis.
Gostei de recordar os jogos da nossa infância e até o lanche! Faltou o saltar à corda, o jogo dos "queimados" com bola ou com ringue, lembras-te?
Eu só me lembro do lanche na Escola Primária, onde nos dispunhamos lado a lado em frente às mesas em comboio e junto ao dito (um copo de leite com "energetic"e um pão com "jam")e às 1ªas palmas da professora destacada para o efeito lá tínhamos que o tomar...eu detestava leite. Acho que era a última a acabar...até o cheiro me enjoava.
Beijinhos Madalena
M.Dores

eduardo disse...

O que eu aqui ao ler-te já viajei pelos recreios, hehe...
Desde 1.ª classe até ao secundário.
A malta entretia-se a jogar à "apanhada", à "rolha", ao "pião".
As minhas origens não me permitiam lanchar nos moldes tradicionais, mas sempre me recordo que pão com marmelada era a dose.
Passado um tempo, o Estado Novo lá arranjou maneira de distribuir leite e pão com queijo à malta da minha escola.

E cá estou. Cinquenta e três, um metro e oitenta, setenta e cinco bem pesados.

Beijokas, Madalena.

Anónimo disse...

Thanks :)
--
http://www.miriadafilms.ru/ приобрести кино
для сайта chora-que-logo-bebes.blogspot.com