terça-feira, 21 de julho de 2009

Querida Lua!

Ontem foi o teu dia, mas eu andava tão ocupada com aquelas coisas nada românticas, que não tive coragem de falar contigo e dizer-te como tu és importante na minha vida.
Costumo olhar para ti, sabes?, sobretudo nas noites em que está muito redonda, muito gorda e muito branca a tomar conta das estrelas. Gosto da maneira como namoras o mar, um caso que já vi mesmo, com estes olhos, lá para os lados do Algarve.
És mesmo namoradeira! Aqui, nas minhas bandas, também já vi que te "atiras" ao rio... Ai, ai... Vamos ficar por aqui. Deves estar muito cansada, com as honrarias de ontem.
Deixo-te um poema que foi feito por uma menina da minha escola, já há alguns anos.
Lê! É muito, muito lindo!
A Lua
A Lua sobe, sobe sem parar,
quando dou por mim,
vejo o seu brilho no mar.
O Sol já desceu,
estrelas estão a cintilar
gaivotas começam a voar.
E eu,
vou para casa...
Vou sonhar.
Ângela,5ºL (2003/2004)

Às vezes, de tão redondinha, até pareces estar a desafiar-nos, a nós, que andamos cá tão em baixo, para subirmos, até ao teu chão que, se calhar, sabe a queijo, para brincarmos contigo.Gosto muito de ti, Lua!

2 comentários:

Isabel Preto disse...

Que lindo poema sobre a Lua namoradeira! Parabéns à escritora!
Obrigada, Madalena, por me visitares:)))
Amanhã, faço anos...mas desta vez sem festa...só com as meninas e o marido...chegar de viagem e muita confusão não dá!
Beijinhos

CMP disse...

E eu de ti, Ant Mada!