quinta-feira, 14 de abril de 2011

"Não sei meus filhos que mundo será o vosso"

Uma conversa com o filósofo José Gil, sobre as inevitáveis mudanças no estilo de vida que se vão verificar a partir do momento em que os efeitos FMI/PECs se começarem a sentir, trouxe-me à lembrança este longo e belíssimo texto de Jorge de Sena. Já era muito verdadeiro antes de todas estas expectativas de crise profunda. Torna-se cada vez mais verdadeiro.
O filósofo José Gil fala com alguma tristeza do fim da esperança. E isso é muito mau!
Fala ainda da falta de confiança nos políticos. Será um sinal novo? Será assim tão mau? Mau é, certamente, pois a confiança é também um bem para quem a pratica. No entanto, estes homens a quem chamamos políticos já há muito perderam o estado de graça que se prolongou muito para além da inauguração da liberdade de Abril. Já devíamos ter perdido a confiança há mais tempo.Durante todos estes anos, temos depositado nas suas mãos a legitimidade de guardar a nossa liberdade, a defesa da nossa paz, o sonho do mundo melhor para todos, especialmente, como se diz nas preces, "principalmente aqueles que mais precisarem"... E então? O que é que fazem com essa legitimidade? O que é que fazem com a nossa confiança? Tratam da vidinha, tratam do emprego para os amigos e do "futuro" deles.
Está a chegar a hora da verdade: o bem comum foi desbaratado, a causa pública foi esquecida e o sonho de todos nós virou pesadelo maior.
Mas talvez sejam estes tempos difíceis uma oportunidade para reabilitar os valores perdidos!
É de valores que trata o longo texto de Sena.
"Não sei meus filhos que mundo será o vosso" - e agora dirijo-me aos meus filhos- mas desejo veementemente que seja um mundo de Verdade. Carta de Sena aqui

6 comentários:

O Baú do Xekim disse...

Olá miguxa, bom dia.

Venho-lhe desejar uma linda e feliz semana.
Beijokas.

Graça Pereira disse...

Penso tb muito no futuro dos jovens e do meu filho, é claro! Mas estou convencida que é na crise que eles se vão fortalecer mais e mais à frente, vão recusar nas suas vidas , a mentira e a hipocrisia.
Veremos querida Madalena se não será certo o ditado que diz: "Há males que vêm por bem"!
Um beijo e uma santa Páscoa.
Graça

Ni disse...

Olá Madalena!
Sabes quem é o sogro mais generoso do mundo?
...........................................................................................................................................................Pois, é o ...............................................................................................................................................................Sócrates!........................................................................................................................................................................................................................................................Deixou tudo à nora!!!

Beijinhos,temos que sorrir para descomprimir.Boa Páscoa.

Ni disse...

Até aqui ele boicota!!!

O que falta é o Sócrates...deixou tudo à nora!

Natália disse...

Feliz Páscoa Madalena.
Beijinhos.

IC disse...

"Mas talvez sejam estes tempos difíceis uma oportunidade para reabilitar os valores perdidos!"
Sim, Madalena, são precisas grandes crises de valores para despertar consciências e dar-se uma mudança qualitativa" Também é necessária a crise da adolescencia para os nossos filhos (ou netos)se tornarem adultoa autónomos, não é assim?; também são necessários picos máximos de crises para acontecerem revoluções. E isto agora não é de este ou aquele país, é da Europa, é também do mundo todo. O pior, para os mais velhos, que gostariam de ver a mudança, é que ela leva tempo (mas pensemos que a História agora "anda" mais depressa). De qualquer modo, não percamos a esperança nos nossos netos (ou futuros netos) e num país e num mundo melhor que eles ajudarão a criar.
Que saudades tuas, Madalena! Mas ando com o tempo complicado, por isso quase nada "blogosferica", tentando só não abandonar o meu bloguezito.
Mil beijos.