segunda-feira, 24 de julho de 2006

Cais de partir e de chegar

lm c gorjão
Nunca consegui perceber o fascínio que exercem no meu pensamento estas imagens de guindastes e braços metálicos que se desenham na paisagem.
Ao longe, o Cais Gorjão começava a adivinhar-se pelos muitas e bem alinhadas esculturas, ora paradas, ora em movimento.
(Isto chega-me a bordo da memória, claro!)
Talvez seja o simbolismo do cais. Talvez seja isso mesmo: nada que tenha explicação lógica. Talvez o cais seja uma metáfora que encaixa na perfeição na minha ideia de vida. Talvez eu até seja um bocadinho parva, mas é tarde para mudar e a ideia do cais Gorjão dá-me vontade de chorar, como se chora nas partidas, como se chora nas chegadas...
Hoje é dia da minha cidade, o dia 24 de Julho, dia que deu o nome a uma rua, onde morei, durante algum tempo!!!!!

6 comentários:

Carlos Gil disse...

eu também gosto muito dos cais, e também tenho fortes memórias do Gorjão...
Beijinho, Madalena

Laura Lara disse...

Que bonito, Madalena.
Beijinhos

IO disse...

INCRÌVEL, Madalena, acabo de me lembrar da data, tarde mas a tempo..., e venho aqui e tu dás-me este cais, onde brinquei!! - beijo enorme, Viva Maputo!!, IO.

125_azul disse...

A avenida das Acácias... a mais bela, a mais longa. Que sorte, Madalena, há olhos que nunca viram tanta coisa linda! Não tenho tido tempo para vir espreitar os blogs, de corrida deixo só um beijinho, de corrida, de saudades...

Ni disse...

E é com este cais de partir e chegar que te desejo umas boas férias,mais do que merecidas,para recarregar baterias para a "nova batalha" que espero não termine em "guerra"...o que mais nos irá acontecer!!!
Beijinhos salpicados de maresia.

Anónimo disse...

Keep up the good work » » »