domingo, 21 de março de 2010

E a Poesia?

Imagem, de Miguel Torga

Este é o poema de uma macieira.
Quem quiser lê-lo,
quem quiser vê-lo,
venha olhá-lo daqui a tarde inteira.

Floriu assim pela primeira vez.
Deu-lhe um sol de noivado,
E toda a virgindade se desfez
Neste lirismo fecundado.

São dois barços abertos de brancura;
mas em redor
não há coisa mais pura,
nem promessa maior.

Vila Nova, 4 de Abril de 1936São Martinho de Anta, Março 2006
Para a TP, porque também é "Torguiana" e para todos e todas que gostam de poesia e da Primavera

7 comentários:

Teresa disse...

Obrigada, Madalena, pelo presente. Deixo-te outro, para troca. Um dos meus favoritos, menos primaveril mas igualmente lindo...
Beijinhos
T.


Fado, de Miguel Torga

Não dou paz, nem a tenho.
Os outros vão, e eu venho
Das ilusões...
No meu adeus mais puro transparece
O logro e o tédio do caminho andado...
E o sol dos corações
Arrefece
A cada encontro
Desencontrado.

Janine disse...

Que lindas torguianas...
:)
Querida Madalena, venho deixar um beijinho muito doce, para que toda a semana seja luminosa e bela, incluindo a 6a feira.
Beijinho com carinho

O Baú do Xekim disse...

Olá Madalena. Boa tarde.

Eu gosto de poesia, mais em prosa que em verso, mas não dispenso lindos poemas também em verso.

Feliz quarta.
Beijinhos.

A TUA BE/ CRE disse...

"Olhá-lo daqui" contigo : )

O Baú do Xekim disse...

Olá amiga.

Um lindo e feliz fim de semana pra si e família.

Beijinhos.

May Alek disse...

Beleza na simplicidade. Assim leio este poema e recordo meu "encontro" com Torga, às margens do Douro.
Beijinhos e uma ótima semana.

Natália disse...

Que lindo!
Gostei de ler esta troca de presentes.
Beijinhos e boa semana.